Não entendo poesia! Preciso ler e reler as palavras pra conseguir assimilar um mínimo de entrelinhas. Com o poema “Uivo” não foi diferente. Para minha sorte, nesse caso, existe um filme!

O filme de 2010 “Howl” – inglês para “Uivo” e título original do poema – retrata o julgamento em Tribunal da editora que publicou e comercializou o texto tido como obsceno. Em paralelo, mostra cenas em preto e branco do poeta e autor Allen Ginsberg (aqui interpretado por James Franco) recitando sua obra e explicando a sua criação. Para ajudar ao entendimento do poema pelo espectador, alguns trechos são ilustrados com animação (literalmente um “entendeu ou quer que eu desenhe?”).

Uivo” conta as próprias experiências de Ginsberg em uma época onde artistas, loucos, gays e todo tipo de minoria era pela sociedade marginalizados, excluídos e muitas vezes aprisionados em manicômios. A linguagem vulgar e nada convencional usada pelo poeta chocou os leitores em 1957 e, nos anos seguintes, contribuiu para dar liberdade de publicação a outros autores nos Estados Unidos.

E por que “Uivo”? Os lobos vivem isolados dos humanos e convivem somente entre si. O uivo desses é um barulho que não entendemos, mas que nos assusta. Assim como esses animais, os ditos loucos e diferentes vivem as margens da sociedade sendo visíveis, mas não vistos. Os seus gritos são como o uivo dos lobos: causam incompreensão e medo!


Allen Ginsberg pertenceu à contracultura de seu tempo e com “Howl” escancarou os olhos de sua geração. O filme que explora sua obra é uma aula de poesia, arte e tolerância. Um filme que inspira e faz refletir.

Ta aí um poema que eu acho que entendi…

Advertisements